A Cidade
Terça Maio 30, 2017
Registro

Patrimônio Cultural de Lambari

PATRIMÔNIO CULTURAL DE LAMBARI

De acordo com a nova Deliberação Normativa do CONEP 01/2016, a Divulgação deve ser realizada em cada etapa do Inventário e deve ser indicada como uma ação indissociável da Execução. Sendo assim, abaixo estão os bens já inventariados no Município de Lambari / MG.

O que é PATRIMÔNIO CULTURAL?
PATRIMÔNIO CULTURAL: nossa herança deixada pelos nossos pais, a nossa maneira de falar e agir, as nossas festas tradicionais, os
monumentos, as imagens, os documentos dos arquivos, as casas antigas e também as novas que tem uma importância para nossa história.
A nossa igreja, por exemplo, é um bem cultural!

 

O que é BEM CULTURAL?
Bens culturais são todas estas coisas que o nosso povo vem produzindo desde os primeiros tempos da nossa cidade.

 

O que é INVENTÁRIO?
O inventário é uma forma de proteção que permite resguardar o registro das características particulares dos bens culturais, contribuindo assim para a preservação de sua história. A partir do inventário, são identificados aqueles bens de maior interesse de preservação como patrimônio local e estes podem ser indicados para tombamento ou registro, caso seja o desejo da comunidade, representada.

 

O que é CONSELHO MUNICIPAL DE PATRIMÔNIO CULTURAL?
O Conselho é composto por representantes da comunidade e expressa o desejo desta tendo, portanto, a atribuição de definir e
conduzir a política municipal de proteção do Patrimônio Cultural.

  

CLIQUE AQUI PARA ACESSO AO INVENTÁRIO CULTURAL DE LAMBARI

Serviços Online

Serviços Online

 

 

             

   

 

O Farol e o Cassino

O FAROL QUE BRILHOU UMA NOITE

Situado em frente à cascata, ao lado do Parque Wenceslau Braz, o Farol de 16 metros foi projetado pelo engenheiro arquiteto Paulo Schroeder em 1910. Segundo o historiador Armindo Martins, teria funcionado apenas no dia 24 de abril de 1911, na festa de inauguração do complexo, iluminando a cidade e o Lago. Já o astrônomo amador, Antônio C. Martins de Carvalho, informa que o Farol teria como função homenagear a República. Da sua parte superior uma pessoa poderia ver, no dia 15 de novembro, o Sol se por no meio do telhado do salão principal, ocorrendo o mesmo na época do solstício de verão.

 

 

PALÁCIO DO CASSINO

A Obra prima do Eng. e Ex. Prefeito Américo Werneck, é um dos principais atrativos turísticos de Lambari, sua construção iniciou-se em 1909 e inauguração em 24/04/1911.

De acordo com a história, o Cassino só funcionou na sua noite de inaguração. Para sua construção, foram importados da Inglaterra: azulejos, ladrilhos, vasos sanitários, entre outros e da França as famosas telhas francesas. Sua decoração foi feita por chineses e japoneses, vindo de seus respectivos países, com requintado bom gosto e arte.

Por ter passado por cinco reformas, o Palácio do Cassino compreende um conjunto arquitetônico Eclético com características neoclássicas.
Hoje, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico – IEPHA/MG. Abriga a Biblioteca Municipal Antônio Basílio de Magalhães, a Secretaria de Turismo e Cultura e funciona

Dados da Cidade

Festividades
Inverno Gastronômico, (final de julho)
Festa da Padroeira Nossa Senhora da Saúde (15 de Agosto)
Procissão de Corpus Christi
Congadas (Primeira quinzena de Maio)
Carnaval - (É considerado um dos melhores do Sul de Minas)
Aniversário da Cidade (16 de setembro)
Moto Fest (encontro de Motociclistas - 3ª semana de outubro)

 

 

Histórico populacional
Ano População
1950 4.840
1960 6.825
1970 8.211
1975 10.975
1980 13.013
1991 16.071
1996 17.138
2000 18.249
2007 18.547
2010 19.554
2015 20.671 est.

 

BAIRROS:


ZONA NORTE:

Campinho
Recanto da Serra
Pitangueiras
Jardim Primavera
Lot. Buriti
Lot. Melo
Nova Baden (Área urbana)
Vila Nova
Silvestrini
Alberto Franco
Cerâmica
Alto da Boa Vista
Corredor
Vista Verde I
Vista Verde II


ZONA LESTE:

Volta do Ó
Vila Campos
Novo Horizonte
Campo Belo
Bairro Colina
Vila Brasil
Matadouro


ZONA OESTE:

Sertãozinho
Alvorada I
Lot. Alvorada II

ZONA SUL:

Volta do Lago
Santana
Lot. Nova Lambari
Corte de Pedra
Jardim do Lago
Lake City
Lot. Lake City II
Galo Branco
Galo de Ouro
Vale do Sol
Pinhão Roxo


Região dos arredores da Cidade:

Nova Baden
Serrinha
Serrote
São Simão
Jardim Floresta
Jacu
Mandembo
Cafundó


Região do São Bartolomeu:

Garcias
Piripau
São Bartolomeu
Região do São João:

Mumbuca
Mantiva
São João
Santa Quitéria

Região da Capelinha:

Folheta
Paiolinho
Campos
Barba de Bode
Capelinha do Embirizal
Cachoeirinha
Marimbondo
Posses
Congonhal
Vargem Grande
Três Barras

A Estrada de Ferro Minas - RIO

 

A Estrada de Ferro Minas - RIO


A E.F. Minas-Rio, que seguira os rastros dos bandeirantes, ao romper de Cruzeiro pela garganta de Embaú, em 14 de junho de 1884, a Freitas inaugurada no mesmo dia a 16.675 metros. Daqui partiu a E.F. Muzambinho, que a 1° de fevereiro de 1894 abriu ao tráfego a Estação Bias Fortes (Jesuânia).


Auspicioso ato se realiza em Águas Virtuosas a 24 de março de 1894 - inaugura-se a Estação Ferroviária de Águas Virtuosas, (Estação Melo, que veio a corresponder ao 3° plano no atual Edifício do Condomínio Imperial).
Por essa época, o privilégio da exploração das fontes foi cedido à Campanha União Industrial do Brasil. Procede-se à construção do galpão de engarrafamento, assentamento das máquinas de gaseificação e cobertura das fontes, as novas instalações de banheiras e outros serviços.
Dotada assim de meio mais rápidos de comunicação, a localidade, a 149 quilômetros de Cruzeiro atraiu as visitas do Presidente Francisco Silvano de Almeida Brandão, que decretou, em Fevereiro de 1900, a organização da colônia Agrícola de Nova Baden.
Nessa altura, lembramos que a Colônia de Nova Baden foi um sonho acalentado pelo ilustre engenheiro Dr. Américo Werneck; e inaugurou-lhe a administração. A sua esforçada atuação em "Águas Virtuosas"... Manisfestou-se intensamente, desde quando, secretário da agricultura, cooperou para dotá-la de colônia agrícola em Nova Baden.
Esta via de comunicação, que foi utilíssima acabou por obsoleta.
O asfalto, tornando mais rápida e mais cômoda a viagem, por automóvel ou ônibus, dominou.
Tenhamos presente que a Estrada de Ferro não recebia atenções devidas, como atualização e melhoramento de seus serviços.
Tornou-se antiquada, e a massa de seus usuários passou a querer melhor ambiente, em comodidade e atenções.